Austrália: A vida com Residência Permanente

Quando comecei a escrever este artigo, tinha uma coisa que não saia da minha cabeça: o que não muda com a tão esperada Residência Permanente, mais conhecida como PR (Permanent Residency). Mas o que é o PR? Residente permanente é o nome dado ao cidadão não australiano que tem o visto de residência permanente para morar na Austrália. Um residente permanente possui quase todos os direitos de um cidadão australiano, exceto: o direito ao voto e a obtenção do passaporte australiano. Para alguns vistos de residência permanente, é obrigatório informar a imigração no caso de viagens internacionais.

Outros benefícios que são concedidos a residentes:

  • Saúde Pública: assim que se tornar um residente permanente, você tem direito ao sistema público de saúde. Para saber mais sobre hospitais, médicos, etc., veja meu artigo sobre Saúde na Austrália, no qual explico o Sistema Público e Privado.
  • Educação: escolas são de graça, bem como a escola infantil (childcare). Há uma ajuda do governo de acordo com a renda da família, chamado “rebate”. Seus filhos têm direito às escolas públicas e se quiserem fazer algum curso técnico ou universidade, paga-se preço de “domestic”, ou seja, como um estudante local. Mestrado e Doutorado são de graça.
  • Empréstimo Estudantil: normalmente usado para ingressar nas universidades e funciona assim: você não paga a universidade enquanto estiver cursando, mas apenas quando ingressar no mercado de trabalho. Somente o cidadão australiano tem direito a esses empréstimos.
  • “Patrocinar” ou ” Responsabilizar-se por” uma pessoa para ser residente permanente: pode ser realizado por um residente permanente, mas tem mil condições.

Para mais detalhes confira o site da imigração.

Viver como estrangeiro é pesado financeiramente, para arrumar trabalho, na saúde e pelos impostos. Sempre perguntam pelo seu visto, principalmente quem está procurando emprego. A razão é que a imigração pega bastante no pé das empresas e dos empregadores. Até no café onde trabalhei, eu precisava mostrar que podia trabalhar. Eles não só pedem seu visto, mas ligam na imigração para confirmar as informações, então não vacile com essa questão.

Eu comecei meu doutorado como estudante internacional. Em média, o valor é $12mil para quem cursa meio período e $24mil para quem cursa integral. E para residentes? NADA. Sem contar a diversidade de bolsas de estudo para estudantes domésticos, nem se compara com as duas, no máximo três, para estudantes internacionais.

Para crianças: escola infantil (childcare) tem que ser paga integralmente pela família. Custa em média $110-$80 por dia. Para residentes há uma ajuda do governo que pode chegar até a 80% de acordo com a renda familiar. O ingresso na escola é obrigatório quando a criança completa 5 anos. Para residentes há opção das escolas públicas. A melhor escola de Perth é pública, mas bem concorrida. Você tem que morar no bairro da escola para ter uma vaga. O estrangeiro paga, em média, $12mil por ano para seu filho estudar na escola pública. Uma grana!

Saúde: como mencionei acima, residentes têm direito à saúde pública. Se você ainda quiser um convênio particular, fica muito mais barato para residentes. Até isso, o preço é diferente: quando você vai a um médico particular, o medicare (saúde pública) paga uma parte e o convênio particular, outra.

Benefícios: previdência (chamada aqui de Superannuation), licença maternidade e seguro-desemprego são concedidos a residentes permanentes.

Emprego: outro fator afetado pelo status do seu visto. Muitas empresas – e dependendo do cargo – só contratam residentes, já está escrito no anúncio da vaga, em vários anúncios. Cargos públicos também, e há alguns que somente cidadãos australianos podem concorrer.

Existe uma segurança muito grande em ter a residência permanente. É o sonho de todos que chegam aqui como estudantes e até transferidos por empresas. Após um ano com o PR e quatro anos vivendo na Austrália, é possível entrar com o pedido de cidadania. Muitas pessoas não dão entrada, pois vários países não aceitam dupla cidadania, como o Japão, por exemplo. Para alemães e holandeses, para ter a dupla cidadania, a pessoa tem que justificar a necessidade de ter a cidadania australiana e de manter a do seu país. O PR tem duração de quatro anos e pode ser renovado. Para pessoas com esse problema de dupla cidadania é ótimo.

Além disso, tem que viver na Austrália pelo menos 12 meses em um período de 5 anos para não perder a residência permanente. Depois que você tiver a cidadania, poderá entrar e sair, viver onde quiser. Se você decidir obter a cidadania, terá que fazer uma prova de conhecimentos gerais sobre a Austrália, que inclui história, geografia, conhecimentos gerais, aspectos culturais; terá que saber cantar o hino e participar da cerimônia na qual se jura bandeira e receber o passaporte.

Agora como conseguir a residência permanente? Existem muitos caminhos. Vistos de trabalho que viram PR’s, patrocínio de empresas, permissão de residência para profissionais em carência na Austrália, por casamento, por nascimento. O melhor conselho é: procure um agente de imigração que conseguirá responder e ajudá-lo em todos os caminhos possíveis. E boa sorte!

*Post publicado originalmente no BPM

Anúncios

Um comentário sobre “Austrália: A vida com Residência Permanente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s