Austrália: convivendo com a natureza

Quando estudamos ou lemos sobre Austrália algo que aparece sempre é a quantidade de animais que vivem neste interessante país. Os mais famosos são os fofos cangurus, os coalas e o ornitorrinco (meu animal australiano favorito).

Quando estudamos mais a Austrália começamos a descobrir quantos animais perigosos e interessantes vivem aqui. Crocodilos de água salgada, aranhas que pulam, abelhas venenosas, água viva que mata em segundos. Quando contamos para família que mudaríamos para cá, meu sobrinho falou: “- Mas tia, tem um monte de animais na Austrália que são muito perigosos e poderiam te matar. A Austrália é muito perigosa!” E eu não tinha a menor ideia de que ele poderia estar certo.

Claro que não é como dizem, ou como meu sobrinho pensava, e os australianos não gostam dessa fama do país de ter muitos animais perigosos. Sempre que comento com eles, eles dizem: “- Mas você é brasileira, não é na Amazônia que vive o sapo que mata em segundos? E a Sucuri? E a Tarântula?” E eles estão certos. Acho que a diferença é que podemos passar a vida inteira no Brasil sem nunca ver nenhum desses animais. Aqui eles estão muitos mais próximos de nós. Agora uma coisa é verdade: quando nos mudamos para a Austrália, aprendemos desde o começo a conviver com a fauna e flora local.

Cheguei no inverno. Só chovia. Dois meses de chuva. Já reparei que não há tantas árvores altas, talvez porque estejamos perto do deserto. Muitos pássaros e cisnes negros (que depois aprendi serem o símbolo da Western Austrália). Assim que chegou a primavera senti algo bem diferente…. o pólen. Talvez por viver quase minha vida inteira em São Paulo, nunca sofri com o pólen. E os pássaros começaram a aparecer. Muitos pássaros. O barulho do corvo é bem característico e quanto mais calor fica, mais se ouve.

Logo no começo ouvimos falar da ‘redback spider’, uma aranha que está na Austrália toda, nos jardins. É o “perigo” mais comum. Ela é pequena, com as costas pretas e um risco vermelho. Somente a fêmea é venenosa e o veneno não é fatal para um adulto, mas dizem que a picada dói muito e a pessoa sofre com uma super febre, náusea e vômito.  O antídoto existe desde 1956. Para outros animais e crianças, no entanto, a picada dessa aranha pode ser bem perigosa. Uma coisa interessante sobre a redback spider é que ela pratica canibalismo sexual, a fêmea come (literalmente) o macho enquanto cruza (eu hein!).

Redback_spider_records_map

Há outras espécies de aranhas bem presentes no dia a dia, como a Huntsman, que não é venenosa, mas ela pula – o quão assustador é uma aranha que pula? Só de pensar me dá calafrios! – Em Sidney tem também a “funnel web spider” que é mais venenosa que a redback.

Cobras tem de monte em jardins, parques e etc. A Tiger snake é a terceira cobra mais perigosa do mundo. Durante o verão as cobras colocam ovos e há inúmeras placas nos parques alertando para se tomar cuidado com elas. Outra cobra da região é a Dugati, mas perto da Tiger, ela é tranquila. Em Queensland, a Taipan é o grande perigo e também é considerada uma das cobras mais mortais do mundo. A Brown Snake vive na costa do leste e sul da Austrália.

Mudando para o mar, temos o grande tubarão branco que aterroriza o hemisfério sul inteiro. Aqui, não poderia ser diferente. Em todas as praias há sirenes para avisar quando eles são avistados no mar e diversos casos de pessoas que foram mordidas pelo grande tubarão branco estampam osjornais todos os verões.

O “blue ringed Octopus” (polvo azul) é um dos animais marinhos mais venenosos do mundo. Ele é pequeno, mas carrega veneno para matar 26 adultos em minutos. A mordida não dói e a pessoa morre de insuficiência respiratória. Não existe antídoto para sua mordida.

Outro perigo nos mares australianos é o peixe pedra. Lembra aquele peixe que a Brooke Shields pisa no filme A Lagoa Azul? O próprio. Ele é muito venenoso e pisar nele é extremamente dolorido. Tem inúmeros casos de acidentes com esse peixe na Austrália e existe antídoto. Em 2008 tiveram 14 casos em Queensland.

A box jellyfish (não é exatamente uma medusa, mas é parecida) é um dos menores e mais fatais animais na Austrália. Ela é endêmica do norte do país, vive por somente 90 dias, mede em média 20 centímetros e os tentáculos chagam a 3 metros. Sua picada já causou pelo menos 64 mortes desde 1960, mas existe antídoto. Nas praias onde ela está presente tem vinagre para ajudar a retardar o veneno até o socorro médico chegar (ou você chegar até ele).

Para mim, um dos mais assustadores é o crocodilo de água salgada. Já pensou, você está nadando no mar e tem crocodilo? Muito assustador. Ele vive em pântanos e mares no norte da Austrália. São extremante agressivos e imensos.

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

DSCN1910

Até o ornitorrinco (que para mim é a grande prova que Deus tem senso de humor) é venenoso. Dá para acreditar?

Mas nem só de animais perigosos é feita a Austrália. Temos os fofos cangurus (que vemos em tudo o que é canto, basta se afastar um pouco do centro), coalas (que já vi em árvores perto de Melbourne), a equidnea (que parece um porco espinho), o diabo da tasmânia (que faz exatamente o mesmo barulho do Taz no desenho), os mil pássaros (kokaburra, kokatoo, lorikit, meg pie).

Aprendemos a conviver com os animais na Austrália. Em geral, os australianos não gostam de matar os animais. Aprendemos a evitá-los, a tomar cuidados e, por exemplo, ter em casa e descobrir qual a aranha que é predadora da redback. Essa reportagem é exemplo dessa convivência pacífica com a natureza. E só para lembrar, a cobra em questão, é uma das mais venenosas do mundo.

A Austrália é um país fascinante e a fauna faz parte disso.

 

Publicado em Brasileiras pelo Mundo

Anúncios

6 comentários sobre “Austrália: convivendo com a natureza

  1. Eu adorei suas informações. Também acho que o mais assustador é crocodilo no mar.
    Mas pensando por um lado, o ser humano adora comprar briga com os animais e se apropriar de seu espaço, os australianos estão de parabéns pelo convívio mutuo. Com certeza é inevitável alguns casos que ocorrem,até por que todos estão ocupando o mesmo espaço, acho que outros países deveriam ser assim, mais conscientes da necessidade dos animais. É estranho, a gente se impressiona quando o país tem uma ótima fauna e flora mas não se impressiona quando não vê nenhum animal solto, tipo em São Paulo.

    Adorei muito sua matéria ❤ Pretendo um dia conhecer a Austrália e ver esses diversos animais.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s