Austrália: Viajando pela Western Austrália

A Austrália é um país incrível. Norte ou sul, leste ou oeste, as paisagens são lindas. A costa inteira é maravilhosa e muda tanto de um estado para o outro, de uma região para outra, que parece que são vários países em um só.

Perth é uma cidade isolada. Um voo para Sidney dura 5 horas e custa $500; Melbourne, 4 horas por $400. Então, acabamos viajando muito por aqui mesmo, pelo estado que é o maior do país, Western Australia (WA), a Austrália Ocidental. Do lado de cá, temos a chamada “Coral Coast”, a lindíssima costa dos corais, de areia mais amarela e mar azul transparente; um visual de tirar o fôlego!

Fiz uma viagem de Perth até Monkey Mia (600km) em 2014 com meu marido e uns amigos. Foi incrível! A primeira coisa que se nota é como a paisagem é diferente do sul, principalmente a vegetação. Como escrevi no meu post sobre as praias do Sul de WA, a vegetação – saindo de Perth para o sul – é bem diferenciada. No sul, as árvores são mais altas e mais abundantes, enquanto as do norte são baixas, por conta do clima mais desértico e quente.

O roteiro da minha viagem foi: Perth – Lancelin – Cervantes – Kalbarri – Monkey Mia – Geralton – Perth. 10 dias de carro.

Primeira parada: Lancelin. Lancelin é uma cidade a uma hora de Perth, famosa pelas suas dunas e sandboard. Primeiro visitamos lindas praias de água verde e um vento propício para praticar windsurfe, o que o faz ser tão popular na área. Lancelin Bay é a praia mais famosa.

Cervantes: Um pouco mais ao norte (20 quilômetros de Perth), Cervantes é chamada “a cidade do camarão local”, com vários restaurantes especializados. Jurien Bay é a praia mais famosa, com uma plataforma no meio do mar (eu nadei até lá; é o máximo!) e um píer com escada para pular no mar. A minha praia favorita de Cervantes é Dinamite Bay. É uma pequena baía de águas calmas a partir deste ponto a água começa a ficar mais quente, ou, melhor dizendo, menos gelada.

Arquivo pessoal: A placa famosa.

Ainda em Cervantes, vale a pesa visitar os estromatólitos. Eles estão localizadas no Lagos Tétis, e são um dos únicos lugares do mundo que as contém; são chamadas de “living fossil ” (fósseis com vida). O microrganismo que constrói os estromatólitos são uma espécie de cianobactéria.

Outra atração imperdível são os Pinnacles, que estão localizados já no considerado deserto – ou outback. De acordo com uma teoria, aquela região já foi mar, há milhares de anos. Outra teoria aponta que a área era repleta de árvores.

Arquivo Pessoal: Pinnacles.

Geraldton: A segunda maior cidade da Australia Ocidental é uma cidade bem antiga, portuária e recheada de cultura aborígene. A sensação de andar na cidade é voltar no tempo. Muito lindinha e bem preservada.

Passeio sugerido: voar até as ilhas de Abrolhos, um complexo de ilhas a 30 minutos de Geraldton. Nas ilhas, dá para ver os restos de um navio naufragado e muitos animais. A cor da água é turquesa.

Arquivo Pessoal: Abrolhos. Olha a cor dessa água: 40°C fora, -8°C dentro.

Dirigindo mais para norte, a paisagem começa a mudar. É mais árido, muito mais quente (em um lugar na estrada chegou a 48°C) e menos plano. Montanhas começam a aparecer até chegarmos na grande atração e minha favorita: Kalbarri. Um pouco antes de chegar em Kalbarri, passamos pelo “Pink Lake ”, um lago cor-de-rosa que tem essa cor devido a presença de betacaroteno. Aqui a cor da água é rosa mesmo, diferente do outro que há no sudoeste australiano.

Arquivo Pessoal: Pink Lake.

Kalbarri:  A 592 quilômetros de Perth, Kalbarri tem de tudo um pouco. Uma das paisagens mais lindas de WA, com os cânions e a paisagem rochosa na costa que leva a praias maravilhosas. Venta muito em Kalbarri e aqui, finalmente, a água do mar é quente! As rochas são vermelhas e as praias, lindas. Algumas delas ficam no meio das rochas, então, desce-se uma escadinha para chegar lá.

Outra atração de Kalbarri é visitar o Parque Nacional e fazer esportes, como caminhada, rapel, canoagem. É muito quente, a temperatura dentro do parque é 10°C, mais quente que na costa.

DSCN2287
Arquivo pessoal: Kalbarri.

Após a aventura de Kalbarri, Shark Bay (baía dos tubarões), onde está localizada Monkey Mia.

Shark Bay: ou baía dos tubarões – porém a grande atração são os golfinhos que vimos no Hotel em Monkey Mia – é um famoso resort conhecido por atrair golfinhos.

A praia mais linda, na minha opinião, é Little Lagoon, uma lagoa de água morna, sem profundidade e, milhares de moscas! (lembram-se delas?). Sheel Beach (praia das conchas) é outra maravilhosa da região. A areia é coberta de conchas branquinhas.

dscn2576
Shell Beach 

Para ver os golfinhos tem que chegar bem cedo no resort. Um instrutor faz uma pequena palestra e oferece peixes para os golfinhos que vem comê-los. É muito legal. Os pelicanos ficam à espreita também, e depois da palestra, podemos ir para água e torcer para um golfinho vir nadar pertinho de você (o que frequentemente acontece).

Um detalhe: as árvores na estrada que parecem ocas indígenas. Viajei, imaginando os aborígenes vivendo nelas e cultivando a cultura local.

Minha viagem acabou aqui. Porém, mais ao norte ainda, Exmouth, tem como grande atração nadar com o tubarão-baleia, mas essa ficará para uma próxima viagem.

See ya 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s