Austrália: minha filha no childcare

Hoje quando fui buscar meu bebê de 6 meses na escolinha (conhecido aqui como childcare ou daycare), ela estava com as mãos sujas de tinta e a roupinha também. Faz uma semana que ela começou na escola que eu trabalho.

Os primeiros dias de orientação foram difíceis. Ela estranhou, chorou, e eu não consegui nem sair da escola, fiquei na sala dos funcionários caso ela precisasse de mim. Mil vezes vi isso acontecendo e mais mil vezes eu ia consolar as mães, que largavam seus bebês comigo chorando e iam lá fora chorar. Meu trabalho é com as crianças e com os pais. Entendia como era difícil para mães após meses e meses a fio, só ela e o bebê, juntos 24/7, ter que passar por essa separação.

Estando longe da família a escola se torna mais que um lugar de aprendizado e socialização. Impressionante como em poucos dias, ela já mudou. 

Na sala dos bebês, essa relação é muito mais intensa. O bebê parece que é uma extensão do corpo da mãe. Quando não esta no peito, esta nos braços, dormindo, brincando, conhecendo o mundo. O choro do bebê, desencadeia uma reação química na mãe e não importa onde você esta ou o que esta fazendo, você ouve. E comigo não foi diferente.

Ouvi muitas vezes as mães me dizendo, quando eu estava grávida, que eu ia tirar de letra esse momento, porque havia trabalhado com bebês e sabia como era. E de uma certa forma esta sendo. Mas não hoje. Hoje ela estava com as mãos sujas de tinta.

unnamed

Não me organizei como eu deveria para o primeiro dia de aula dela. Não escrevi o nome dela em todas as coisinhas dela como deveria. Como me irritava quando um pai perguntava de um sapato do seu pequeno e eu não achava porque tinha 5 iguais. E ri de mim quando me peguei perguntando para professora dela, minha amiga, onde estava o casaquinho branco de hoje que estava, óbvio, sem nome. Ou qual das três mamadeiras eram dela (o que foi fácil porque só a dela não tinha nome).

Não fiz uma bolsa só para a escolinha, como achei que faria e deixei um pacote de bolacha (sem querer), na bolsa dela. Há seis meses usamos a mesma bolsa eu e ela, e não em acostumei a separar nossos pertences.

Minha pequena vem me ensinando muita coisa desde que nasceu, e uma delas é que nada mais esta sob meu controle. Maioria das coisas que eu olhava para as crianças e pensava “comigo será diferente” não foi. Graças a Deus, eu sempre tive na minha cabeça para não julgar os pais pois nunca sabemos como é a rotina dentro de casa. Mesmo assim, cada mãe dos meus pequenos que encontro, abraço e agradeço a confiança que depositaram em mim por ter cuidado de seu bebê e peço desculpas caso eu tenha as julgado, mesmo sem querer. Abençoada maturidade.

unnamed-1

Ainda bem, eu escolhi uma profissão que me deu o privilégio de levar minha filha comigo para escola. A Austrália nos possibilita isso, a mudar, se reiventar e ter uma profissão nova com qualquer idade. Eu conheço as educadoras e sei que elas cuidarão dela com todo amor do mundo. Usamos fralda de pano, e várias escolinhas não aceitam. Mas minha pequena, continua usando nossas amadas fraldas com o apoio e respeito de suas professoras. Eu sei bem que as professoras dela, olham ela com respeito e estão prontas para conhecê-la e ajuda-la a se tornar quem ela quiser ser.

Quando as pessoas me perguntam por que eu coloquei meu bebê de seis meses na escola, essa é uma das razões. Como eu poderia priva-lá de toda essa experiência? De todo aprendizado e atividades? 

E hoje, quando fui busca-la e vi que suas mãos e suas roupinha estava suja de tinta, não fui como a maioria dos pais que reclama da sujeira. Hoje, eu não fui como todos os outros pais. Hoje, eu me senti a mãe mais feliz do mundo. Ela tem seis meses e já esta conhecendo o mundo, explorando, com seus olhos azuis curiosos e suas mãozinhas que até semana passada só conheciam o que eu ensinava. E é com essa emoção e empolgação que começa nossa jornada na vida escolar. Ela, suja de tinta, eu com lágrimas nos olhos de admiração, respeito e felicidade. 

Anúncios

4 comentários sobre “Austrália: minha filha no childcare

  1. Foi o post mais lindo que escreveu ! Senti cada vírgula do seu texto , e não tive como não me emocionar ! Parabéns Querida! Orgulho imenso da sua trajetória e agora da mãe que nasceu ! Parabéns
    😘🌹

    Curtir

  2. Li, esse momento se repete em casa adaptação que a gente faz com nossos pequenos. A Nina tá na adaptação do Kindergarden. A gente acostuma com a rotina, mas ver nosso bebezinho dar mais um passo é uma emoção sem fim. Ao mesmo tempo que nos faz chorar às vezes de ver como o tempo corre, ficamos felizes em ver cada minúscula mudança. ❤️
    Que coisa de louco, a bebê já está com 6meses? Parece que foi ontem que ela nasceu!
    Beijo pra vocês!

    Curtir

    1. Oi Cami, nem fala. É uma mistura de felicidade com saudades, com coração partido. Ela está tão feliz que já vale tudo. Em pouco tempo já esta mais segura, mas tranquila, fica mais tempo brincando sozinha. Sair da aba faz o maior bem ne? haha
      Sim, 6 meses. Tempo voa… podia passar um tiquinho mais devagar, ne?
      Beijos para vocês

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s