Austrália: como escolher um childcare centre?

Já escrevi sobre trabalhar em Childcare. Trabalho na área há três e conheci diversos lugares, uns lindos e outros nem tanto. E uma agonia (sim, agonia) que todo pai tem quando muda de país é em relação a educação do seu filhote.

Como escolher um Childcare? Algumas dicas para ajudar os pais nessa escolha tão difícil:

1. Local: Primeiro, pense em um que seja próximo a sua casa. Por conveniência, por reduzir trânsito e porque você conhecerá famílias próximas a sua área, e quem sabe novas amizades? Então se você não chegou ainda e está pesquisando, talvez seja melhor esperar para ter ideia de em que bairro vai morar antes de matricular seu pequeno. Tem alguns Childcares que são bem populares e pode ser difícil de conseguir vaga, principalmente se seu filho for bebê.

As salas de bebê são as mais concorridas e a razão é que cada educadora pode cuidar de só 4 crianças. Sendo assim, as salas tendem a ser menores e a demanda sendo grande complica um pouco. Alguns Centre cobram taxa de matrícula ($50-$100). Você pode entrar na lista de espera entrando no webiste do lugar e preenchendo um “express of interest form”. Os valores variam de $80 a $130 por dia, sendo que se você for cidadão ou residente perante recebe uma parte de volta do governo.

Natal na sala do kindy no meu trabalho

2. Staff (os educadores): Alguns Centre’s empregam adolescentes, pois paga menos. Minha experiência pessoal é que é muito bacana ter educadores novos no staff, eles são cheios de energia e se dão muito bem com as crianças. Mas ter mais de um na mesma sala pode ser complicado, principalmente pela maturidade. Trabalhar com criança não é fácil e uma mistura de staff é sempre bom. Ouço muita reclamação de amigas que trabalham na área e de mães quando tem muito adolescente nas salas. Sou mãe e hoje entendo muito mais os pais, portanto, entendo essas reclamações.

Normalmente, pessoas mais velhas tem mais paciência, mais empatia, e mais experiência. Normalmente. Preste atenção como é o clima entre os educadores, se o ambiente é legal, as pessoas se dão bem. Isso faz uma diferença tremenda na sala.

3. Franquias ou não franquias: logo que começei a procurar emprego na área fui em uma franquia grande e não gostei. Depois, conversando com mães que tem crianças nas franquias, várias falam que amam o centre em que os pequenos delas estão. Conversando com as amigas que trabalharam em franquias, cheguei a uma  conclusão: depende da diretora. Tem franquias que são ruins, outras bacana. A Diretora é quem faz a cara do lugar. Uma coisa de franquia: normalmente tem mais criança que um centre sem ser franquia. Pode ser bom ou ruim, depende de casa pessoa.

Das franquias aqui em Perth: Goodstart, Great Begginings, Cuddly Bear, Buggles. O Childcare que eu trabalho não é franquia, fica em South Perth e chama Mosaic Early Learning Centre.

4. Filosofia: esse é um item muito importante. Toda dinâmica e expectativa do local giram em torno da filosofia. Tem filosofias, como Reggio Emilio, que acreditam que a criança aprende brincando, e tem poucos brinquedos na sala. Então, você não verá pequenos sentados falando o alfabeto, mas eles vão aprender. Montessori tem as suas atividades específicas para trabalhar cada área de desenvolvimento da criança. Steiner foca no lado criativo (artes), e tem filosofias mais ortodoxas, que são meio que uma escola tradicional para pequeninhos, desde bem cedo. Veja qual a filosofia que mais se encaixa com o que você espera para seu filho.

Por exemplo, o meu trabalho é inspirado em Reggio Emilio. Nessa filosofia não é comum ter muitos brinquedos pela sala, pois o planejamento gira em torno dos interesses das crianças que chamamos de projetos. Muito comum as crianças fazerem os brinquedos com coisas do dia a dia, e não usar brinquedos de plástico. Tem pais que já reclamaram que tinha pouco brinquedo na sala. Tive que sentar e explicar a filosofia. Não existe certo ou errado, existe o que funciona para cada família.

Para saber mais sobre as filosofias: (algumas delas):

http://www.reggiochildren.it/identita/reggio-emilia-approach/?lang=en

Montessori Theory

About SEA

 

Digital Camera
No meu trabalho usamos materiais recicláveis como projetos para fazer nossos brinquedos. Na foto, instrumentos musicais
5. O espaço: você gostaria que seu filho ficasse mais tempo na natureza brincando na grama, ou mais aprendizado dentro das salas? Uma área externa grande, com animais, grama e hortas é fundamental para alguns pais e não tão importante para outros.

6. Com ou sem fins lucrativos: os sem fins lucrativos são geralmente chamados de “community centre”. A diferença é que esses centre tem eventos para as famílias também, são abertos para encontros, aulas de inglês de graça, esse tipo de coisa. Os com fins lucrativos são mais “empresa” e os educadores tem metas de redução de custo, produtividade e tudo mais. 

Tem vários childcare centres que são ligados a uma igreja, mesmo não sendo religiosos (o que eu trabalho é assim, tem aluno cristão, hindu, muçulmano, etc.). Vejo que o ambiente normalmente é bem melhor nesses, talvez pela ética que a igreja trás.

Na minha opinião, o melhor lugar é o lugar que você se identifica e se sente bem (assim como o seu filho!). Vá conhecer, converse com a Diretora, com as educadoras e leve seu filho para conhecer também. Volte em dias diferentes pois pode ter educadores diferentes que você se identifica mais. Peça indicação, ajuda também. Outras mães podem ajudar. Tem muito lugar legal, com educadoras que amam o que fazem e vão cuidar do seu filho como se fosse delas. Basta você achar o seu lugar.

Boa sorte, e se tiver qualquer dúvida, pode mandar.

See ya,

Anúncios

9 comentários sobre “Austrália: como escolher um childcare centre?

  1. Excelente post, deve ajudar muito as mamães recém mudadas para Perth! Ainda não tenho filhotes , mas se for possível , vou fazer um técnico para trabalhar na área ! Seu post sobre o trabalho com os pequenos que me fez pensar e voltar para área . Sou pedagoga de formação , mas nunca atuei na área , as propostas na área comercial sempre foram mais convidativas . Agora tenho chance de escolha ! Que tudo encaminhe para educação agora!

    Parabéns pelo post!

    😘🌹

    Curtir

    1. Oba, está pensando em trabalhar na área? Vamos trocar muitas figurinhas então. Sendo pedagoga capaz de vc conseguir uns créditos, vou pesquisar e te falo. Uma coisa que não faltará aqui para você são escolhas. Você pode ser o que quiser :-). Beijos e obrigada

      Curtir

      1. Obrigada querida, vamos dominar primeiro o inglês, e depois será minha mentora profissional!Se você aceitar, lógico.

        Beijos

        Curtir

  2. Fiquei espantado com o preço. Mínimo de $80 por dia, ou seja, $10 a hora, por um turno de 8 horas. Que negócio caro. Mamãe de primeira viagem e imigrante vai ter problemas com esse preço. Ainda bem que minha filha já tem 13 anos.

    Curtir

    1. Francisco, sim é bem caro mesmo. Para quem é residente ou cidadão há uma ajuda do governo.
      Para estrangeiros é esse o preço. O que eu vejo muitas vezes acontecer são as mães ficando em casa com os pequenos até arrumarem um emprego que faça o gasto valer a pena. Agora, na crise, várias famílias tiraram a criança do Childcare ou diminuíram os dias.
      Por isso que sempre aconselho famílias com filhos de tentarem vim com a residência, pois facilita muito a vida e o bolso
      Abs

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s