Por que Perth?

O que mais ouço sempre que conheço alguem novo é: por que Perth? Todo mundo que decide morar na Australia vai para a East Coast: Sidney, Melbourne ou Brisbaine. Por que sair da grande metrópole pauslista que nunca dorme para morar na terceira metrópole mais isolada do mundo?

Quem escolheu o país e a cidade foi me marido. Eu estava muito infeliz no Brasil. Cansada de passar horas no transito de São Paulo, do jeitinho brasileiro, da inexistente qualidade de vida. Deixei nas mãos dele decidir algum lugar no mundo para morar. Meu plano era fazer um Mestrado então o que eu precisaria era de uma universidade próxima. Ele é Engenheiro Químico com carreira no mercado petrolífero.

Western Australia é uma região rica em ouro, ferro, niquel, aluminio, diamente, cobre, oleo e gás natural tornando-a tão atraente para indústrias. Perth é a maior cidade do Estado da Western Australia com quase 2 milhões de habitantes. Tudo começou no século 19 (1829) na “golden rush”. Com o envolivimento da Australia na 2 Guerra Mundial, Fremantle servia como base marinha aos submarinos que operavam no Pacifico gerando uma migração de australianos. Após a guerra, a região recebu muitos imigrantes da Inglaterra, Grécia, Italia e a Yoguslávia aumentando rapidamente a população. Com o mining boom no século 20, Perth se tornou a quarta maior cidade Australiana, base de diversas operações no Estado todo.

Pesquisando a cidade, parece um lugar que oferecerá muitas oportunidades para meu marido. Ele decidiu fazer um MBA. Abordarei o processo para Universidade em outro post.

Chegamos aqui em agosto de 2012 com 4 malas e muitas expectativas para viver na Australia. Meu marido matriculado em um MBA/Mestrado na Curtin University e eu matriculada em um curso de ingles para IELTS (o tal teste de ingles que diz se voce cumpre os minimos requisitos necessarios de ingles) por tres meses.  Morariamos em um studio na escola de ingles por 2 semanas.

Após 26 horas de voo, 6 horas de escala na Africa do Sul, um jet leg cruel de 11 horas, chegamos em Perth (que de perto não tem absolutamente nada). Pesquisamos muito a cidade, vimos fotos da internet, até “caminhamos” pelas ruas pelo google earth. Mas nada, absolutamente nada descreve a sensação de estar aqui. Ao contrário do Brasil, a época de chuvas é no inverno. Chegamos e estava chovendo. Contratamos um serviço de van para nos levar para “casa”. Primeira coisa que descobrimos da cidade: o nome das ruas se repetem em bairros diferentes. Nossa motorista perguntou o endereço. Eu disse: “Hay Street”. Ela disse “qual número e bairro, a Hay Street cruza a cidade”. E é verdade. Muda o bairro, zera a numeração e a rua é a mesma. Bizarro! Várias ruas se repetem. Tem a “Murray Street” no centro, em Como, em Maylands).

Deixamos as malas no nosso studio e fomos andar um pouco pela cidade. Na porta da escola descobrimos uma outra coisa da cidade: como tem brasileiro! Acredito que não tanto quanto Sidney e Melbourne, mas como tem. Como estavamos no centro da cidade, a nosso primeira inpressão é de que todo mundo vive no centro da cidade (que não é em nada verdade). O centro é uma graça. Super organizado, com uns prédios antigos bem ingleses, uma rua larga e fechada no meio do centro conhecida como “Mall Street”por ser cercada de lojas e restaurantes.

Perth é dividida em bairros chamados City. Estavamos na City of Perth, ou no CBD, Central Business District. A cidade é cortada pelo Rio Swan e há uma clara divisão de South of the River para North of the River. Caminhamos até o rio, vimos um Black Swan (cisne negro) simbolo da Westerna Australi, e tomamos muita chuva. A parte mais difícil da primeira semana foi, sem dúvida, o jet leg. Acordavamos as 3 horas da manhã para almoçar, as 5 horas da manhã e arrumavamos o quarto. Demorou uns 10 dias para nos adaptarmos completamente.

Algo que demoramos um pouco para entender sobre Perth: é uma cidade relativamente grande, mas com cabeça de interior e muito, muito isolada. Explico: nada fica aberto após as 5pm com exceção das quinta-feiras. Existe uma divisão de North e South of the river e quem mora em um não mora no outro (ouvi uma vez uma australiana falando: “você acredita que minha amiga vai casar com um cara que mora North of the River?”). Para conseguir um emprego você precisa atormentar o headhunter até ele cansar de você (vou explorar isso um pouco mais em outro post) e ele precisa te conhecer. Sem experiência de trabalho na Westerna Australia, você demorará para arrumar um trabalho aqui. Eles chamam 20 minutos de transito. As pessoas reclamam quando tem dois eventos culturais no mesmo dia. Você pode escrever e falar diretamente com o prefeito.

As praias daqui são maravilhosas e todo mundo vai para praia frequentemente, seja para caminhar, passar o dia, tomar sol. O clima é parecido com Porto Alegre, pois estamos na mesma latitude. Faz frio no inverno e chove muito (mas MUITO) chega até a fazer 0C e no calor o tempo é seco e faz muito calor (MUITO calor).

Então por que Perth? Acredito que por ser o que ela é. Qualidade de vida, clima ótimo e belezas naturais há 15 minutos de carro. Isso tudo faz meu amor por essa cidade aumentar cada dia.

*Publicado originalmente no blog Brasileiras pelo Mundo

 

Anúncios

Um comentário sobre “Por que Perth?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s